Writing, Flying and Huevos Revueltos

January 23, 2006

As Bruacas e o Xamã

Foi uma semana rica e esperta, teve de tudo, até o renascimento de uma antiga surpresa. Vi amigos e conhecidos, dançamos muito, rimos à rôdo, gritamos e pulamos nas poltronas, e conheci novas pessoas sinceras e profundas. Mas revi pessoas que carregam uma certa dose de agressividade e frustações interiores, e que já me incomodaram muito no passado mas que a distância necessária me fez esquecer. Ter presenciado as larvas da frustação alheia se infiltrarem no meu ar, e claro, às custas da minha pessoinha, é algo que continua à me incomodar, tenho que reconhecer.

Mas eu tenho uns amigos geniais, realmente geniais. Eles são engraçados, inteligentes, cultos, ousados, destemidos e filósofos. O que me ajudou foi isso porque depois de ter sido sorrateiramente envenenada no sábado com a frustação de duas bruacas mal-amadas, tive encontros maravilhos no domingo de manhã com o meu osteopata budista e à tarde, no batizado do filho da Ângela e do André, com familiares e amigos deles que são pessoas verdadeiramente interessantes e honestamente interessadas; e à noite, no jantar na casa do Fábio, comemos uma muqueca baiana "verdadeira". Ramon até tirou o leite do xuxu... (sabiam que a gente faz isso na verdadeira muqueca? sabem o que é tirar o leite do xuxu?). Quem cozinhou foi o Cláudio, e estava uma delícia. Além do mais foi oficialmente a primeira vez que eu comi peixe. Sim mes dames, comi peixe!

A semana me provou mais uma vez que o inferno de cada um neste doce mundo é criado por ele próprio.

Antes de nos deliciarmos com a muqueca, nas nossas conversas espirituais, e outras nem tanto, o Fábio me falou sobre Os Quatro Compromissos, de Don Miguel Ruiz, que são hábitos e conceitos simples que todos conhecemos mas que na rotina deixamos de praticar. E que são, de verdade, uma simplificação da filosofia de Buda.

Eis os 4 compromissos (decisão íntima e pessoal):


  1. Palavra impecável: Falar com integridade. Não mentir. Não falar mal de si nem dos outros. Não minto quando digo que as duas bruacas são invejosas e mal comidas. Só que sou um pouquinho agressiva com a miséria delas, pobres coitadas. Vou tentar arreparar isto... Anyway, a palavra justa é o acordo mais importante que podemos ter consigo mesmo e o mais difícil de se cumprir. Parece simples, mas é extremamente poderoso. A palavra é o poder que temos de criar. A palavra é força; é o poder que possuímos de expressão e comunicação, de pensar e de criar os eventos da nossa vida. A palavra seria a mais poderosa ferramenta que possuímos como seres humanos. A palavra engloba a dose de energia, boa ou má, que imprimimos no nosso falar. Assim uma pessoa simples ou mesmo sem instrução pode falar de forma inatacável. Uma outra pessoa, letrada, pode falar de forma maledicente, invejosa, vingativa ( ...as bruacas); nesse caso, estaria falando de forma deficiente. A palavra justa inclui não mentir e não falar mal dos outros nem de si mesmo, e nem de situações (eu já disse que tenho que aprender...).
  2. Não reagir à nada de maneira pessoal: O que eu não estou fazendo. Quando as 2 bruacas, por exemplo, ficam ciumentas porque segundo a palavra de uma delas "sou o centro das atenções" e eu sei que as 2 gostariam de estar no meu lugar, tento enxergar nesta reação das ditas cujas a loucura pessoal de cada uma. E a minha loucura também porque mesmo se estou injuriada neste momento, nem por isso sou inconsciente. Sou responsável. O pior é que elas se incomodam comigo pela minha maneira de ser, não porque eu fiz algo contra elas ou contra alguém. Existo e me exprimo!
  3. Não fazer suposições: Ter a coragem de fazer perguntas e exprimir seus verdadeiros desejos. Comunicar claramente para evitar tristeza, equívocos e dramas (uma delas já me confessou, num momento de fraqueza ou anseios espiritualistas e quando ela fazia terapia, que seu sonho desde pequena era ser o centro das atenções, o que eu conseguia relativamente bem, mas confesso que sou só curiosa e gosto de me comunicar quando o assunto em pauta me interessa, não porque goste de ser o centro das atenções. Mas a dita voltou aos seus antigos demônios depois de ter ficado anos luzes sem cruzar a minha digna pessoa; por quais cargas do diabo, ignoro. Tá precisando de renovar a terapia ou a prescrição de prozac).
  4. Dê o melhor de si mesmo: Isso eu aprendi com a vida. Sem comentários.

Nota: Quando uso o termo BRUACA, não estou querendo dizer que a figura é feia, não. Falo da palavra no sentido de peso, pois antes, lá no tempo dos Bandeirantes, todo o material levado pelos burricos e pelos escravos eram colocados dentro de bruacas, ou broacas (bolsa de couro grande). E normalmente, eram carregados para aliviar as costas de um outro, no caso, os mestres que só queriam ficar no bem bom. Bruacas são pesos, estorvos, coisas que nos dão dor nas costas e a vontade de jogá-las no meio do caminho, enfim, coisas que a gente só carrega se for por obrigação.

Ouvindo Nick Cave And The Bad Seeds: Red Right Hand e The Ship Song .
E vendo e ouvindo o Caetano, no vídeo abaixo, q é p exorcisar a raiva.

23 comments:

  1. oi Maizinha, será que a bruaca é quem penso? benza-te Deus que lhe livre e guarde longe dela!

    ReplyDelete
  2. Oi linda,

    Conheço um 'bruaco' muito parecido, cheio de amargura. É pena porque o homem é inteligente. Mas frustado e enrustido.

    Muito Axé!
    Carlos Gomes

    ReplyDelete
  3. Sou 'pigista", minha irmã, não tenho banda larga e é um saco esperar para poder visionar e descarregar todas as fotos do site, todo o peso. Por isso não apareço sempre. Uso internet para trabalho, então já viu as minhas prioridades...mas não significa que não penso em você, oras bolas.
    Mande a bruaca me visitar e dou um jeito nela, de graça.Um beijão.

    ReplyDelete
  4. Manda a receita da muqueca ou me convide a próxima vez. bisessss.
    Isaías Vasconcellos

    ReplyDelete
  5. também quero ser convidada junto com Isaías.
    Ana Loca

    ReplyDelete
  6. Ciro,
    Menino! O que faço com esse peso? Só deixando na estrada mesmo, né?
    bisssssessss

    ReplyDelete
  7. Carlinhos da minha vida, vc entendeu tudo, sei que chatiação independe de gênero, número e grau. Beijão.

    ReplyDelete
  8. Ric, vou mandar um presentinho p/ vc na próxima vez que cruzar com a menina, ao menos uma delas. Quem sabe vc acaba se apaixonando?
    beijão. Também penso em vc muitíssimo.

    ReplyDelete
  9. Annita e Isaías estão já na lista da proxima comelança baiana e divina que aparecer no pedaço. Um grande beijo cheio de axé!

    ReplyDelete
  10. então kátia, vc também é daquelas que sabem que antipatia gratuita é coisa de gente... mal comida (olha eu sendo grosseira na casa dos outros de novo). trolls da vida real são mesmo piores que os da vida virtual, mas devagar eu tô aprendendo a usar o botão 'delete' da vida real. muito mais difícil, né?
    obrigada pela visita.

    ReplyDelete
  11. Que momentos incríveis e intensos você passou hein?!? Isso só nos proporciona mais vida, mais coragem e mais sutileza com os outros e com a existência!

    ReplyDelete
  12. É Alexandre, esse post foi um desabafo. É verdade que tais ocasiões são oportunidades p/ a gente crescer, mas confesso que ainda não cheguei no ponto de ignorar quando me fazem tanto mal.
    Obrigada pela força!

    ReplyDelete
  13. Oi Rosa, eu também estou aprendendo. Desta vez foi rápido demais... mas um dia viro macaca sábia.Um beijo!

    ReplyDelete
  14. Kátia, desculpe a demora em te dar algum retorno. Além do braço na tipóia, o microestava internado! rs...
    Realmente seutexto tem muito a ver com aquele que postei. Ri demais da sua indignação. Mais do que justa nesta situação.
    Os 4 compromissos são belos enquanto preceitos, mas difíceis hein? acho que eu ainda prefiro o ignorar. tanto o fato qto a pessoa. e a prescrição virá. o tempo se encarrega sempre! rs...
    Beijos, querida.
    PS. amei o corte das letrinhas. vou torcer pros spans não te redescobrirem, tá? rs...

    ReplyDelete
  15. Olá! Também adorei saber da sua existência por intermédio de alguém que tem um olhar (ou leitura) sensível como o Alexandre. Beijos!

    ReplyDelete
  16. ola katia
    passei aqui pra te ver e agradecer a visita lá no blog. olha, gostei da barraca e vou voltar com calma. não conhecia a definição de bruaca, mas passei a entender o sentido de "mala".valeu!
    olha, não esqueça do I Blog Here. participe.
    grande beijo

    ReplyDelete
  17. Osteopata budista. Impossível não ser interessante....

    ReplyDelete
  18. Oi Katia,

    Brigado pela visita. Eu estou em Montreal também! O que você faz por aqui ? Um abraço,

    Alys

    ReplyDelete
  19. Oi, Katia. Acabo de voltar de Salvador e tive uma experiencia parecida com uma pessoa do mal. O bom e que foi a ultima vez, porque viver tao distante me ensinou a selecionar muito bem as pessoas que quero perto de mim. Meu tempo la e muito curto pra perder com gente que nao vale a pena.
    Fiquei curiosa com esse negocio de tirar o leite do xuxu, nao lembro de ter ouvido falar nisso. Estou prestes a duvidar de minha baianidade. Por favor, esclareca.
    Ah, aquele endereco que te dei pro messenger tambem e meu email, se quiser escreva. Um beijo.

    ReplyDelete
  20. Kátia,
    Só de ler o texto e conhecer os 4 compromissos dá para ver que vc tirou de letra.
    Depois me diz o que é tirar leite de xuxu... Juro que não sei o que é.
    Bom te ver forte e feliz
    Abraço
    pat

    ReplyDelete
  21. vim em busca da "dor do parto II" rs...
    um beijo.

    ReplyDelete
  22. Nice! Where you get this guestbook? I want the same script.. Awesome content. thankyou.
    »

    ReplyDelete
  23. Your are Nice. And so is your site! Maybe you need some more pictures. Will return in the near future.
    »

    ReplyDelete